O arquipélago carioca dos golfinhos-fliper

Atualizado: 7 de jun. de 2021

Autores: Liliane Lodi e Guilherme Maricato



Quatro golfinhos-fliper se deslocando no anel interno do Arquipélago das Cagarras, localizado a cerca de 5km da Praia de Ipanema. Ao fundo a Laje Praça Onze, localizada à direita da Ilha Comprida. A coloração do dorso e flanco do golfinho-fliper é cinza-clara com uma capa dorsal cinza-escura. A cabeça é arredondada, o rostro (“bico”) é curto e largo.

Golfinhos-fliper, Tursiops truncatus, utilizam as águas rasas e abrigadas do anel interno do Arquipélago das Cagarras, Rio de Janeiro. Fonte: Liliane Lodi/Projeto Baleias & Golfinhos do Rio de Janeiro e Projeto Ilhas do Rio.



O ARQUIPÉLAGO DAS CAGARRAS


O Arquipélago das Cagarras e a Ilha Redonda, localizados a 5 km e 8 km da Praia de Ipanema, fazem parte da primeira Unidade de Conservação (UC) Marinha de Proteção Integral da cidade do Rio de Janeiro, fruto da mobilização da sociedade carioca. O Monumento Natural do Arquipélago das Ilhas Cagarras (MoNa Cagarras) foi criado em 13 de abril de 2010 (Lei Federal Nº 12.229) e seu Plano de Manejo foi aprovado em 20 de agosto de 2020 (Portaria Ministério do Meio Ambiente/Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade Nº 886). A UC tem como finalidade preservar os remanescentes do ecossistema insular do domínio da Mata Atlântica, os refúgios e áreas de nidificação de aves marinhas e a beleza cênica local.


O MoNa Cagarras é formado pelas ilhas Cagarra, Palmas, Comprida e Redonda e pelos ilhotes Filhote da Cagarra e Filhote da Redonda, totalizando uma área de 91,20 hectares que inclui a parte terrestre e o ambiente marinho em um raio de 10 metros no entorno de cada ilha e ilhota.


Esse ecossistema insular abriga uma rica comunidade biológica que inclui centenas de espécies terrestres e marinhas, sendo algumas raras, endêmicas, ameaçadas de extinção e até novas para a ciência, mas também espécies exóticas, além de um sítio arqueológico.


A formação geomorfológica do MoNa Cagarras, tão próxima do continente, e a sua biodiversidade proporcionam oportunidades para a visitação, pesquisa e educação. Como megafauna marinha carismática, os golfinhos-fliper, também conhecidos como golfinhos-nariz-de-garrafa, da espécie Tursiops truncatus, agregam valor à percepção ambiental daqueles que visitam a UC e seu entorno.