Ilhas de plástico nos oceanos

Atualizado: 30 de jul. de 2020

Autores: Juliane Freitas, Douglas F. Peiró e Thais R. Semprebom


Imagem mostrando uma embalagem plástica flutuando no fundo do mar. Ao fundo podemos ver alguns peixesd

Embalagem plástica flutuando no oceano. Muitos animais marinhos podem confundir o plástico com águas vivas, das quais se alimentam. Fonte: Ben Mierement, NOAA (Domínio Público).



CONTAMINAÇÃO DE PLÁSTICO NOS OCEANOS


Como tema constante abordado na mídia nos últimos anos, você com certeza já deve ter ouvido falar sobre o problema ambiental causado pela contaminação dos oceanos por despejo de toneladas e toneladas de plástico. Mas será que mesmo com o aumento dos cuidados e com medidas ambientais sendo tomadas, esses impactos têm alguma tendência de diminuição?


Pesquisadores afirmam que, principalmente nas áreas denominadas hotspots (regiões de alta biodiversidade), quantidades assustadoras de plástico são frequentemente encontradas no mar, perto de áreas densamente povoadas, onde as correntes oceânicas se convergem. No litoral brasileiro, a maior parte do lixo encontrado nos mares é constituída por plástico. Esses resíduos sólidos não são constituintes naturais dos ecossistemas marinhos e são inseridos nos mares principalmente pela atividade humana, por meio do descarte incorreto e excessivo por banhistas e embarcações (principalmente em períodos de alta temporada), além da falta de coleta seletiva em diversas regiões costeiras.


Plásticos são materiais orgânicos sinteticamente produzidos e seu tempo de degradação pode atingir até 450 anos. Isso significa que o descarte inapropriado de plásticos nos mares transforma os oceanos em grandes depósitos naturais dessas substâncias, desencadeando uma série de problemas ambientais relacionados aos ecossistemas e às diversas interações tróficas entre os organismos, as quais podem percorrer durante séculos. O problema é que esse tipo de poluição não é sempre visual: 70% de todo plástico lançado nos oceanos afunda, aglomerando-se no substrato marinho. Segundo o Greenpeace, estima-se que 110 pedaços de lixo por quilômetro quadrado ficam disponíveis nos fundos dos mares.



ILHAS DE PLÁSTICO


Quais as principais consequências? Além da formação das “Ilhas de Plástico” nos oceanos, animais marinhos confundem pedaços de plástico em movimento com alimentos, ingerindo-os em quantidades excessivas, o que pode causar asfixia, intoxicação e obstrução do trato gastrointestinal desses animais. Vale ressaltar, ainda, que os plásticos apresentam alto índice de absorção de substâncias tóxicas e sofrem constante alteraç