Ações mitigadoras de impactos ao ambiente marinho

Autores: Fernanda Cabral, Lucas Rodrigues da Silva, Aline Pereira Costa, Raphaela A. Duarte Silveira e Douglas F. Peiró



Imagem no fundo do mar de um mergulhador segurando uma rede, presa à cauda de uma cachalote. Na foto, somente a cauda e a porção terminal do dorso são exibidas, ambas enroscadas em uma rede.

Atualmente existem diversos métodos que buscam minimizar os impactos ambientais no ambiente e nos animais marinhos: são as chamadas ações mitigadoras. Fonte: Lauren Packard/Flickr (CC BY 2.0).



O ser humano possui uma histórica e intrínseca relação com o litoral e os sambaquis, um dos mais antigos registros de ocupação litorânea, são a prova disso. Consistem em montes criados artificialmente a partir da deposição de restos de seres vivos, como conchas e ossos de aves, uma vez utilizados para alimentação de povos que ali se estabeleceram. Com o passar de milhares de anos, os sambaquis tornaram-se monumentos que serviram de acampamento, cemitério e até mesmo marcos paisagísticos. A história da ocupação litorânea continua com a colonização brasileira, onde os colonizadores chegaram em terra, primeiramente, por via marítima, instituindo núcleos de povoamento que, mais tarde, formaram grandes metrópoles. A facilidade de exportação e transporte, a oferta de alimento e as belas paisagens foram e continuam sendo atrativas à população, que atualmente cresce sem ordenamento na linha de costa.



QUAL O PREÇO DISSO?


As regiões litorâneas são complexas por serem ecótonos (ambientes de transição, nesse caso entre o mar e o continente). Por sofrerem interações terrestres, oceânicas e atmosféricas, os litorais são umas das regiões com a mais intensa troca de energia do planeta. Assim, os impactos causados pela ocupação humana alteram não só um, mas diversos fatores ambientais que regulam todo o ecossistema marinho. Os impactos podem ser:

  • Meio físico: modificação de relevo, aumento nos processos erosivos, assoreamento, alteração da qualidade da água, do ar e do solo, compactação do solo, supressão de vegetação e regiões de praia.

  • Meio biótico: destruição e/ou fragmentação de habitat, fuga e/ou perda de espécimes, destruição da comunidade bentônica, alteração da cadeia alimentar.

  • Meio antrópico: aumento