O papel das conchas no ambiente marinho

Atualizado: 6 de mai.

Autores: Fernanda Cabral Jeronimo, Raphaela A. Duarte Silveira, Thais R. Semprebom e Douglas F. Peiró



Em primeiro plano a fotografia mostra três conchas de diferentes cores enterradas na areia. Possuem um formato semicircular com a base reta e ranhuras em sua superfície.

O hábito de retirar conchas da praia é comum e pode ser prejudicial ao ecossistema marinho. Fonte: Julia Roman/Pixabay (CC0)

Como não pensar em conchas quando se fala de praia? Como não se encantar com as diversas formas e cores que possuem? Querer levar um pedacinho de um lugar para casa pode parecer uma boa lembrança, porém traz consequências a longo prazo para o ecossistema.


QUAL A IMPORTÂNCIA DAS CONCHAS E DO QUE SÃO FEITAS?

As conchas estão presentes na maioria dos moluscos marinhos externamente, como nas ostras, ou internamente, como nas lulas; e possuem a função de sustentar e proteger esses animais, que possuem o corpo mole.

Tomaremos como exemplo o mexilhão Mytilus edulis. Desde a fase larval até a fase adulta, a alimentação permite ao organismo retirar do mar substâncias essenciais para sua formação e desenvolvimento. Uma dessas importantes substâncias é o carbonato de cálcio que, ao ser gradativamente secretado e liberado pelo manto (tecido epidérmico), forma a concha do mexilhão.


A imagem mostra o desenho de um mexilhão aberto com setas apontando e nomeando duas estruturas anatômicas: a borda do manto, na parte mais externa, e a cavidade do manto, mais interna. A concha superior vemos somente a parte externa, de coloração marrom. A concha inferior vemos a borda do manto, o manto de coloração cinza e uma massa laranja que provavelmente é o conjunto de órgãos.

Esquema mostrando a anatomia do mexilhão. Fonte: adaptado de OpenClipart-Vectors/Pixabay (CC0)