Mergulho: conheça e viva essa experiência!

Atualizado: 3 de abr. de 2020

Autores: Rafael P. Silva, Andreliza R. Terciotti, Mariana P. Haueisen, Julia R. Salmazo, Thais R. Semprebom e Douglas F. Peiró


Imagem com uma visão debaixo para cima no oceano de três mergulhadores.

Mergulho na Laje de Santos/SP. Fonte: Rafael Prado Silva, 2017 ©.



Desde os tempos mais remotos a humanidade tenta explorar de diferentes formas as profundezas do mar. A história do mergulho é mais antiga do que podemos imaginar! Há 6.500 anos o homem já criava acessórios e testava técnicas para incursões no mundo subaquático.


Em busca de locais exóticos, o mergulho foi um dos esportes que cresceu mais rapidamente na indústria de turismo. Além de ser uma atividade de lazer, o mergulho é importante como ferramenta da Educação Ambiental, já que a prática envolve o contato humano com o ambiente marinho, permitindo refletir sobre ações que visam à conservação.



VOCÊ SABIA QUE EXISTEM DIVERSOS TIPOS DE MERGULHO?


O mergulho pode ser diferenciado entre livre e autônomo. No mergulho livre, ou apneia, utilizamos apenas nossa respiração para mergulhar. Em contrapartida, no mergulho autônomo usamos o equipamento de mergulho SCUBA (self-contained underwater breathing apparatus), que auxilia na respiração debaixo d’água, sendo composto por cilindro, regulador, colete equilibrador e manômetro.

O mergulho autônomo pode, ainda, ser classificado em recreacional e comercial. O mergulho comercial está mais voltado para trabalho braçal, como por exemplo a perfuração de rochas com martelo pneumático (ferramenta utilizada por alguns mergulhadores para perfurações de rochas em construção subaquática) e a limpeza de casco de navio. Contudo, nesse contexto é necessário o conhecimento específico de corte e solda subaquática, montagem e manutenção de estruturas, operação de câmaras hiperbáricas, entre outros.

O mergulho recreativo, por outro lado, é destinado à exploração do mar apenas por lazer. Os que se interessam por esta prática podem optar por duas entradas: o mergulho de batismo ou um curso de mergulho básico. No mergulho de batismo, pode-se alcançar a profundidade máxima de 12 metros, sempre com o acompanhamento corpo a corpo de um instrutor. Já o curso de mergulho certifica o indivíduo e o capacita para mergulhar com maior independência, podendo chegar a 18 metros de profundidade.