Copépodes: a fauna dominante do plâncton marinho tropical

Atualizado: 5 de jul.

Autores: Filipe Guilherme Ramos Costa Neves, Fernanda Cabral Jeronimo, Thais R. Semprebom, Mariana P. Haueisen e Douglas F. Peiró


Ilustração colorida de oito exemplares de copépodes que têm o corpo em forma de bastão, apresentando várias cerdas nos seus apêndices, que serve para sua flutuabilidade.

Ilustração de vários copépodes apresentando sua morfologia corporal. As cores foram usadas arbitrariamente. Fonte: Ernst Heinrich Haeckel/Wikimedia Commons (CC0).



O plâncton é o nome dado ao conjunto formado por organismos aquáticos cujas habilidades natatórias são limitadas diante das correntes e outras movimentações de massas de água. Ele é constituído por organismos como bactérias, algas, invertebrados e até mesmo vertebrados, apresentando organismos com tamanhos desde micrômetros até alguns metros (como águas vivas gigantes). Em termos gerais, o plâncton pode ser formado por organismos fotossintetizantes ou fitoplâncton, ou seja, que produzem o próprio alimento, como também organismos heterotróficos, que são aqueles que não produzem o próprio alimento como o zooplâncton, necessitando de fontes externas para obterem energia.



Fotomicrografia de 15 indivíduos do plâncton coloridos artificialmente dispostos em um fundo preto.

Alguns organismos encontrados no plâncton, com representantes do fitoplâncton (seres fotossintetizantes) e do zooplâncton (seres heterotróficos). Fonte: Christian Sardet/CNRS/Tara expeditions/Wikimedia Commons (CC BY-SA 4.0).