Ciência cidadã: eu, cientista?!

Autores: José Pedro Vieira Arruda Júnior, Fernanda Cabral Jeronimo, Aline Pereira Costa e Douglas F. Peiró


Ilustraçãocom fundo azul de um menino e de uma menina com balões de pensamento. O balão do menino tem a sombra de três aves e da menina tem a figura de uma poliqueta, um caranguejo e um cnidário.

Ana e Felipe são estudantes de uma escola situada numa unidade de conservação e estão conhecendo melhor a biodiversidade do local onde moram. Fonte: © 2020 Pedro Arruda.



Vamos começar com uma situação hipotética, mas que pode ser a realidade de várias pessoas, inclusive a sua. Conte-nos depois de ler este artigo!


Ana, moradora de uma comunidade situada em uma Unidade de Conservação Marinha, acorda de manhã e aproveita a maré baixa para investigar os animais que existem nos recifes de arenito próximos de sua casa. Cada vez que avista um animal, ela anota em seu caderninho de bolso o nome do organismo, etc. e cria uma lista de espécies para aquela área. Um pouco mais ao longe, ela vê seu colega de turma, Felipe, que está fazendo um trabalho parecido com o de Ana: ele está observando as aves que estão se alimentando na faixa de praia. Ele anota a quantidade de animais, o comportamento das aves e etc.


Engana-se quem acha que Ana e Felipe guardam esses dados para si. Eles fazem parte de um projeto de Biologia do professor Pedro, que estimula os estudantes da escola a conhecerem mais sobre a biodiversidade do local onde nasceram. A atividade consiste em escolher um local de interesse e investigar os seres vivos que existem ali. Os dados coletados também não ficam só com o professor, são utilizados para alimentar um banco de dados com as espécies que existem na Unidade de Conservação.


Qual a vantagem disso? Tanto a Ana como o Felipe e seus colegas de turma estão sempre na Unidade de Conservação e poderão fornecer dados de diversos períodos e locais com mais frequência. Isso não é interessante?


Os dados coletados e fornecidos por essas pessoas são informações que nos mostram um panorama de uma questão em larga escala e que os cientistas dificilmente conseguiriam apenas com a sua equipe. Essa prática de coleta de dados de forma voluntária e por pessoas sem formação científica é chamada de ciência cidadã.



QUAL A IMPORTÂNCIA DA CIÊNCIA CIDADÃ PARA A CONSERVAÇÃO DO OCEANO?


Imagem com desenhos de uma professora, uma lupa com um camarão dentro, um rosto com um autofalante e uma nuvem de pensamento com reticências dentro, um homem com uma prancha de surfe e uma mergulhadora com macroalgas e e uma estudante observando o computador. No centro, tem um texto com ''Cidadão cientista! Você pode sim''