Aquários de visitação pública como ferramenta de conservação de espécies

Atualizado: 4 de mar.

Autores: Lucas Rodrigues da Silva, Mariana P. Haueisen, Thais R. Semprebom, Marcus Farah e Douglas F. Peiró



A fotografia nos mostra um aquário. Em primeiro plano há uma estrela-do-mar aderida ao vidro, com sua boca voltada para a câmera. Ao fundo, existem rochas, onde um ouriço-do-mar e uma outra estrela-do-mar estão aderidos. A água é cristalina, evidenciando os detalhes dos animais.

Estrela-do-mar em um tanque de observação no Aquário Marinho do Rio de Janeiro. Fonte: Lucas Rodrigues, 2018 ©.



BREVE HISTÓRIA DOS ZOOLÓGICOS E AQUÁRIOS


A domesticação de animais é uma prática antiga, tendo registros de 5 mil anos atrás, no Egito antigo. No início, essa prática tinha como função primordial a criação animal para alimentação. Ainda nessa época começaram-se as primeiras coleções de animais selvagens. Essas coleções eram mantidas por imperadores, reis e chefes de estado como uma forma de demonstração de poder. Elas geralmente eram instaladas em praças de palácios e não eram abertas à visitação. Apenas convidados podiam vê-las. Um dos casos conhecidos é o do Faraó Tuthomosis III (1.501-1.477 A,C), que enviou caravanas à Somália para capturar aves, leopardos e macacos, o que reforça a ideia de que a prática de manter animais selvagens em cativeiro para entretenimento pode ser datada A.C. Nessa época os animais eram retirados do seu habitat natural, e não havia nenhuma preocupação com o seu bem-estar. Essa prática durou por muito tempo, e apenas em 1752 foi criado o primeiro zoológico aberto à visitação pública, em Viena, na Áustria. Em 1826 os zoológicos foram reconhecidos como centros de pesquisa, e continuam passando por diversas mudanças e aperfeiçoamentos até os dias de hoje.


Hoje, segundo a legislação brasileira (Lei Nº7.173, 14 de Dezembro de 1983), os zoológicos podem ser definidos como: “qualquer coleção de animais silvestres mantidos vivos em cativeiro ou em semiliberdade e expostos à visitação pública”. Tal definição engloba zoológicos e aquário atuais.


A criação de peixes é conhecida antes mesmo do século I, onde romanos, a fim de obter status social, tinham o costume de armazenar esses animais em tanques artificiais de mármore. Porém, a reposição dos peixes tinha que ser constante, pois o conhecimento sobre a manutenção da qualidade da água era praticamente nulo.


A palavra “aquário" surge no século XIX, com o significado de “reservatório