Ecoturismo Marinho: uma ferramenta para a conservação dos oceanos

Atualizado: 4 de dez. de 2020

Autores: Andreliza Roberta Terciotti de Oliveira, Raphaela A. Duarte Silveira, Thais R. Semprebom, Yonara Garcia e Douglas F. Peiró


Pessoas andando em fila em uma trilha no Costão Rochoso, ao contato com a mata e o ar puro, contemplam a linda vista do mar.

A prática de trilhas em Costão Rochoso pode ser considerada uma atividade de Ecoturismo Marinho. Fonte: Projeto Bióicos, 2018 ©



Já ouviu falar sobre “Ecoturismo”?

Hoje vamos conhecer sobre essa atividade que a cada dia atrai um maior número de praticantes.

Em meados dos anos de 1970 e 1980, o “antigo” turismo em ambientes naturais passou a ser interpretado como ecoturismo ou turismo ecológico devido a uma saturação dos locais turísticos e de seus serviços. Esta fase foi marcada por diversos conflitos como, por exemplo, o crescimento desordenado das cidades. Então, na década de 1990, com a criação do projeto “Turismo Ecológico”, uma parceria do Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR) com o Instituto Brasileiro dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), as questões ambientais ganharam maior visibilidade e regularização, por meio do turismo. A regularização das atividades ecoturísticas, que oferecem um contato maior das pessoas com o meio ambiente por meio de passeios em trilhas e atividades em parques ecológicos, por exemplo, passaram a se destacar nos pacotes turísticos, permitindo que o território nacional fosse melhor explorado.

A partir desse projeto, o ecoturismo tornou-se um segmento do turismo, onde as atividades turísticas foram empregadas de forma sustentável. Sendo assim, exerce a importante tarefa de auxiliar na conservação dos patrimônios naturais e culturais, incentivando a conscientização ambiental, por meio da interação com o meio ambiente, bem como com a população local, não deixando também de promover o bem-estar social.

Os locais que apresentam maiores demandas de visitação e infraestrutura adequada são classificadas como Pólos Turísticos. As regiões Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil oferecem locais maravilhosos para o Ecoturismo Marinho. Em 2016, segundo dados da WTTC (The World Travel & Tourism Council), o turismo brasileiro gerou mais de 7 milhões de empregos.

Nos últimos anos, o ecoturismo marinho vem apresentando crescimento, contribuindo também no aumento de empregos, principalmente para a população local. Tal crescimento pode estar associado com o lazer, principal motivação para viajar, apontada por turistas, de acordo com o Plano Nacional de Turismo 2018-2022. Outro indicativo é o aumento do número de visitação em Unidades de Conservação (UCs), onde se destacam vários Parques Nacionais Marinhos.