Zonas de ressurgências nos oceanos

Autores: João Antonio C. Veloso, Raphaela A. Duarte Silveira, Thais R. Semprebom e Douglas F. Peiró



Imagem de satélite da costa da Califórnia com uma legenda de temperatura superficial do mar variando de 18 graus celsius (vermelho) até 10 graus celsius (azul) identificando uma zona de ressurgência através de baixas temperaturas.

Imagem de satélite da ressurgência da Califórnia, identificada pelas baixas temperaturas na costa. Em preto: continente; Colorido: variação de temperaturas no oceano. Fonte: NOAA/Ocean Explorer (Domínio Público).



A ressurgência, ou afloramento, é um fenômeno dos oceanos onde águas frias de profundidade sobem para a superfície do mar. Essas águas são ricas em nutrientes, que foram conservados pela falta de atividade fitoplanctônica (fotossíntese), devido à ausência da luz solar em zonas profundas na água e pela decomposição de organismos, que gera nutrientes.


Os eventos de ressurgência estão associados a vários fatores, mas um dos principais é com a incidência de ventos nos oceanos. Ao encontrar a superfície do mar, o vento provoca o deslocamento das águas de superfície para Norte-Sul no caso da ressurgência equatorial ou Leste-Oeste dependendo da sua direção e posição do continente, possibilitando a subida das águas de profundidade. Essa dinâmica é chamada de Transporte Superficial de Ekman.


As zonas de ressurgência são responsáveis por afetar a produtividade primária dos oceanos em uma escala global. Elas se caracterizam por sua alta produtividade primária, que sustenta uma grande biodiversidade de animais marinhos. Apesar de representarem uma pequena parcela da superfície dos oceanos, esses eventos abrangem um dos maiores potenciais de pescado do mundo. Aproximadamente 25% da pesca global são capturadas em cinco áreas de ressurgência ao longo do planeta, ocupando apenas 5% da superfície total dos oceanos.



TIPOS DE RESSURGÊNCIA:


- Ressurgência Costeira


A ressurgência costeira ocorre em virtude da incidência de ventos ao longo da margem do continente, ou seja, paralela à linha de costa. Um evento de ressurgência costeira nem sempre permanece durante o ano inteiro, mas apenas durante as estações que proporcionam correntes de vento na direção correta.