Zonas de mar profundo

Atualizado: 1 de out. de 2021

Autores: Lucas Garcia Martins, Yuri Antônio da Silva Rocha, Raphaela A. Duarte Silveira, Thais R. Semprebom e Douglas F. Peiró



As áreas mais profundas dos oceanos, fossas abissais por exemplo, certamente inspiram o imaginário de muitas pessoas que se interessam pela vida marinha. No entanto, um dos pensamentos mais comuns quando se fala de mar profundo é a de que possui seres estranhos e assustadores como o peixe demônio lanterna Melanocetus johnsonii, mostrado no filme "Procurando Nemo". Contudo, o mar profundo é referente às áreas a partir da quebra da Plataforma Continental, começando em 200 m de profundidade até por volta de 11 mil metros nas Fossas Marianas.


Além disso, o mar profundo compreende várias zonas oceânicas: as zonas batial, abissal e hadal. Cada uma delas possui características físicas, químicas, geológicas e biológicas diferenciadas, ou seja, os organismos de cada zona são distintos morfológica e fisiologicamente.



No desenho esquemático descreve-se a zonação do oceano de acorod com a profundidade, na qual a zona epipelágica com luz vai de zero a 200 m de profundidade, seguida pela zona mesopelágica que vai de 200 até 1000 m de profundidade. Dos 1000 aos 3500 a zona batial, dos 3500 até 6500 a zona abissal e por fim dos 6500 m em diante a zona hadal".

Zonação do mar profundo, destacando as áreas bentônicas e pelágicas, considerando as principais características ambientais (biomassa fitoplanctônica, em verde, luz solar e temperatura em graus Celsius) Fonte: Ana Colaço et. al, 2017 (p. 14) (CC BY-NC-SA 4.0).



ZONAÇÃO DO MAR PROFUNDO


Atualmente a comunidade científica aceita a seguinte divisão para o mar profundo:

  • Zona batial: nesta área, observa-se o declive acentuado ao fim da Plataforma Continental. Esse acidente abrupto chama-se talude continental e que, em média, inicia-se aos 1000 m de profundidade até a faixa de 3500 m. A luz é quase ausente poucos animais vivem nessa área por apresentar muitas zonas de oxigênio mínimo (a soma das taxa de decomposição e taxa de respiração é maior que a reposição de oxigênio). Observam-se também muitas carcaças flutuando, devido à diferença da densidade da água da zona epipelágica, da zona batial até chegar, enfim, na zona abissal.

  • Zona abissal: um ambiente que se estende entre 3500 m e 6500 m, com pouca dinâmica de movimento de correntes, sem entrada de luz solar e uniformemente fria. Quanto às características faunísti