Manguezais: estrutura, dinâmica e biodiversidade

Atualizado: 7 de set. de 2020

Autores: Douglas F. Peiró, Thais R. Semprebom, Raphaela A. Duarte Silveira e Mariana P. Haueisen



Os manguezais são considerados ambientes de transição entre os ecossistemas terrestre e o marinho, sofrendo influência tanto do mar quanto de rios. Por estarem situados em estuários e outras regiões costeiras planas, estão sujeitos a grande variação de parâmetros ambientais durante o regime de marés. Esta variação determina a dinâmica e a estrutura de sua comunidade, com características muito distintas dos outros ecossistemas do entorno.



Foto de um manguezal. No primeiro plano vemos um corpo d'água e em segundo plano vemos a vegetação de manguezal, com suas raízes escora e folhas verdes.

Os manguezais são um berçário de biodiversidade e o Brasil tem uma das maiores extensões de manguezais do mundo. Fonte: Heris Luiz Cordeiro Rocha/Wikimedia Commons (CC BY-SA 3.0).



ONDE OS MANGUEZAIS GERALMENTE SÃO INSTALADOS?!


Os estuários são os principais ambientes mantenedores dos manguezais, que servem de abrigo e berçário para um grande número de seres vivos. Os estuários podem ser definidos geograficamente como uma região costeira de transição entre os ambientes marinho e terrestre, onde a água doce do rio e a salgada do mar se encontram e se misturam nas planícies. Estão sujeitos, portanto, à ação das marés, gerando um ambiente marcado por grande variação de parâmetros físicos, químicos e biológicos. Estuário é uma palavra com origem no Latim aestuarium, que significa esteiro ou espaço que o mar deixa descoberto durante a maré vazante, ou então entrada de maré do mar.